Impactos ambientais da reciclagem – A atitude que começa em casa tem grande valor

Alguma vez você já parou algum momento para refletir no papel fundamental que a reciclagem exerce hoje em nossa sociedade?

Um gesto plenamente simples, que tem início em nossos próprios lares, tem um valor inestimável em todo nosso meio ambiente e ecossistema em geral. 

Em tempos onde cada vez mais nossas preocupações se voltam às questões da sustentabilidade, é importante ressaltarmos os impactos ambientais que uma atitude que começa em casa, é capaz de exercer localmente para atingir globalmente. 

Tema de diversos debates, estudos e levantamentos mundo afora, a destinação de resíduos como o lixo doméstico que produzimos em larga escala, se reflete numa das maiores preocupações ambientais do século XXI.

Afinal, como fazer uma gestão eficaz destes resíduos? Como minimizar os impactos negativos que o lixo pode gerar? 

Certamente, a reciclagem pode não ser a única solução, no entanto, é uma da principais ferramentas neste contexto e que deve ser estimulada ao máximo para que possamos sim, ter impactos positivos no meio ambiente e em nosso planeta.

Veja, a seguir, a importância e necessidade de se conscientizar acerca do tema reciclagem, e os benefícios que esta atitude, que começa em nossa própria casa podem trazer às pessoas e ao planeta em geral.

Reciclagem: um pequeno gesto capaz de trazer grandes impactos 

Participante da casa so+ma em SP

Apesar de ser um tema que dê a impressão de ser relativamente novo, a reciclagem é uma atitude mais antiga do que muitas vezes supomos.

Mas, o que é mesmo reciclagem? Basicamente, reciclar consiste em reprocessar determinado “resíduo”, item ou objeto. De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS):

Reciclagem é o processo em que há a transformação do resíduo sólido que não seria aproveitado, com mudanças em seus estados físico, físico-químico ou biológico, de modo a atribuir características ao resíduo para que este se torne novamente matéria-prima ou produto.

Fonte: ecycle

Se pensarmos que desde os Nômades, restos de animais que eram caçados por eles já eram descartados, e que com o passar do tempo e chegada da civilização, surgiu a necessidade de se descartar não apenas restos de comidas, mas todo tipo de materiais e resíduos, veremos que a reciclagem e a necessidade de se gerir o lixo sempre foram necessárias.

Um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro- UFRJ, denominado “A Limpeza Urbana Através dos Tempos”, traz relatos interessantes que nos levam até a origem da reciclagem e da produção de lixo pelos homens.

Segundo o relatório “recolher e dar destino ao lixo e aos dejetos têm lugar de destaque em uma reflexão sobre os esforços civilizatórios da humanidade”. 

Ainda no estudo, os autores afirmar que:

É certo que os problemas com dejetos e lixo não eram tão complexos enquanto o homem vivia em grupos nômades. O problema se dá com a fixação em aldeias, mas principalmente em cidades, que começam a ser formadas por volta de 4.000 a.C.

Fonte: lixoeeducacao.uerj.br

Os israelitas, por exemplo, seguiam normas de como descartar desde excrementos até os restos dos animais sacrificados, assim como todo o lixo produzido no reino. 

Do mesmo modo, cidades da Itália, já na Idade Média, seguiam trâmites sobre o destino dos resíduos produzidos pela população.

Os serviços de coleta de lixo, aliás, surgem na Idade Média. Porém, e com a Revolução Industrial na metade do século XIX e no século XX que temos o surgimento de um “lixo moderno”. Aquele que não é somente resíduo orgânico, mas também químico, originário da indústria em geral.

É exatamente neste contexto que a reciclagem assume o papel de protagonista no sentido de ser uma alternativa para solucionar tal problemática.

Os impactos da reciclagem em números

Resíduos recicláveis das casas so+ma

Os impactos da reciclagem no aspecto ambiental são extremamente positivos, pelo fato de minimizar as retiradas de matéria-prima da natureza, por exemplo.

Além disso, a reciclagem permite que se gere maior economia tanto de água quanto de energia elétrica.

Sem contar que a reciclagem diminui potencialmente a gestão inadequada do lixo.  Falando em economia, a reciclagem atua ainda na esfera social, e é vista hoje, para muitas pessoas e famílias inteiras, como fonte de renda e acesso à educação.

Para termos ideia, o simples hábito de separar o lixo, fazendo a reciclagem doméstica, gera o que se chama de “alívio” aos aterros sanitários e lixões, ainda hoje em atividade em nosso país.

A última Pesquisa Nacional de Saneamento Básico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de acordo com publicação do Ministério do Meio Ambiente, afirma que:

“… são recolhidas no Brasil cerca de 180 mil toneladas diárias de resíduos sólidos. O rejeito é resultante de atividades de origem urbana, industrial, de serviços de saúde, rural, especial ou diferenciada. Esses materiais gerados nessas atividades são potencialmente matéria prima e/ou insumos para produção de novos produtos ou fonte de energia.”

Fonte: mma.gov.br

Ainda segundo o portal do Ministério do Meio Ambiente, alguns números mostram o impacto que a reciclagem doméstica pode causar:

  • A reciclagem de uma única lata de alumínio economiza energia suficiente para manter uma TV ligada durante três horas.
  • Cerca de 100 mil pessoas no Brasil vivem exclusivamente de coletar latas de alumínio e recebem em média três salários mínimos mensais, segundo a Associação Brasileira do Alumínio.
  • Uma tonelada de papel reciclado economiza 10mil litros de água e evita o corte de 17 árvores adultas.
  • Cada 100 toneladas de plástico reciclado economizam 1 tonelada de petróleo.
  • Um quilo de vidro quebrado faz 1kg de vidro novo e pode ser infinitamente reciclado.
  • Para produzir 1 tonelada de papel é preciso 100 mil litros de água e 5 mil KW de energia. Para produzir a mesma quantidade de papel reciclado, são usados apenas 2 mil litros de água e 50% da energia.
  • Cada 100 toneladas de plástico economizam uma tonelada de petróleo.
  • O vidro pode ser infinitamente reciclado.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente 

Se você está se perguntando onde pode levar o lixo reciclável, pelo fato da sua região não ter coleta seletiva.

Uma dica é buscar informações junto à prefeitura de sua cidade. Caso nada esteja sendo feito em relação a coleta seletiva e a reciclagem, separar de maneira adequada o lixo já ajudará bastante, pois certamente catadores ou coletores de rua irão destinar este material para cooperativas de reciclagem.

Se estiver em uma região onde possui uma Casa so+ma,  você pode levar seus resíduos recicláveis e receber em troca pontos que podem ser acumulados trocados por cursos, exames, alimentação básica, descontos em supermercado e muito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *